Topo
Claudia Assef

Claudia Assef

Categorias

Histórico

Quer ser um DJ de sucesso? Mãe Laura te garante agenda 100% lotada

Claudia Assef

19/07/2018 19h39

Acabei de receber este maravilhoso meme pelo Whatsapp e não pude resistir. Não tentei ligar lá (aliás, coitada desta pessoa se o telefone existir mesmo), mas, segundo esta filipeta virtual, a Mãe Laura faz milagres pelas carreiras de “top DJs''. Simpatias e amarrações para fazer o/a interessado/a aprender a sincar (mixar uma música na outra sem errar), viver em paz com promoters, fazer gestos clássicos de DJ, manter uma relação de paz com os promoters e, principalmente, ter uma agenda lotada de gigs. Quem fez a piada certamente conhece bem os percalços e a pedreira que é a carreira de DJ – sinto muito em desapontar, mas a parte glamour da profissão responde por 10% do tempo de trabalho.

Não sou a Mãe Laura, mas sempre me pedem dicas milagrosas de como se dar bem na carreira de DJ. Se tivesse receita de bolo infalível, eu mesma estaria ganhando cachês mais gordos que os do Alok e passando minhas férias num yatch em Ibiza – mentira, tá aí um lugar em que eu não estaria, risos. Mas tem alguns pré-requisitos bem básicos, tipo o Book 1 dos DJs, dicas rápidas e rasteiras que eu costumo dar em conferências e eventos de músicas pelo Brasil afora.

Se você tá querendo se jogar de verdade nesta profissão ou é aquele DJ que ainda não achou seu lugar ao sol, compartilho 5 mandamentos básicos aqui.

1) Não seguirás playlist alheia

É legal pesquisar o que os outros estão tocando. Mas tem gente que força a amizade e copia sets quase inteiros de outros DJs. Se o trabalho do DJ fosse só dar play em músicas aleatoriamente, seria mais fácil ter continuado com as velhas jukeboxes, certo?

2) Informar-se-ás sobre o passado da profissão

Repertório não se compra pelo Beatport. São necessários anos de pesquisa para chegar à unha do pé de um DJ com o conhecimento musical como o do Marky, por exemplo. Então, se você é desses/dessas que seguem uma linha de som e só pesquisam sobre ela, ou seja, ignoram que muito antes de existir tech-house as pessoas já dançavam e se divertiam ao som de samba-rock, Northen Soul, rockabilly, funk, disco music, soul, não me convide pra sua pista. Certamente vai te faltar munição na hora em que você mais precisar. Então, além de ler tudo o que cair na sua mão sobre música, não tenha preconceito e ouça de tudo. Só assim você vai poder saber do que realmente gosta.

3) Encontrarás seu estilo próprio apesar das modinhas 

A cada troca de estação novos estilos de música vão surgir na sua timeline. Isso não significa que você precisa segui-los cegamente. É importante encontrar a sua verdade (tá parecendo auto-ajuda, mas é isso mesmo!) como DJ. E como se acha isso? Na sua essência, certamente você tem sons que mais te agradam. Eu, por exemplo, sou do time da disco music, porque cresci ouvindo isso em casa, com meus pais. Pra mim, é o som que me traz felicidade, contentamento. E é essa linha (e seus desdobramentos) que eu toco como DJ. Crie uma marca própria pra você, habitue sua pista de dança com algumas músicas que só você toca (e isso demanda pesquisa, muita pesquisa!, até encontrar faixas que combinem com o seu estilo e que pouca gente toca).

4) Estudarás a técnica, mas não discotecarás como alguém que está montando um PPT

Sim, é muito importante saber mixar, conhecer sobre equalização, tocar músicas com bastante qualidade e não obrigar a pista a ouvir MP3 furreco. Mas não deixe a técnica ou os equipamentos te transformarem num ser que toca com a empolgação de quem está lendo um email chato de trabalho. Você não precisa ser um astro da performance, mas é legal ver a pessoa que está comandando o baile curtindo e sentindo cada música junto com sua pista. E, aqui vai uma visão muito particular: não confio em DJ que não dança.

5) Serás gentil com seus colegas de cabine

Não tem coisa mais chata que DJ que fica pescoçando o set do outro antes de começar a tocar. Aquele que estaciona com o equipamento atrás de você e fica na espreita. Chegou cedo? Vai buscar um drink, dar uma volta, todos sabemos que dá aquela ansiedade pra começar, mas não seja mala, pois amanhã poderá acontecer o mesmo com você.

 

 

Sobre a autora

Claudia Assef é uma das mais respeitadas especialistas em música do país. É publisher do site “Music Non Stop” e ao lado de Monique Dardenne fundou o “Women's Music Event”, plataforma de conteúdo e eventos que visa aumentar o protagonismo da mulher na indústria da música.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre descobertas musicais, novidades, velharias revisitadas, tendências e o que está rolando na música urbana contemporânea, seja na noite ou nas plataformas de streaming mais próximas de você.